15 de julho de 2017

BRÁS | Comprinhas de Inverno



No vídeo de hoje mostro peças que achei no Brás, e falo os valores. 
Espero que vocês gostem.



DÁ O PLAY!


22 de maio de 2017

RESUMO + PDF Livro: Como Parar de Atuar - Harold Guskin



  Se tem uma coisa que eu amo fazer é ler. E a segunda coisa é sublinhar as partes importantes com marca texto. Hoje eu decidi compartilhar com vocês uma nova forma de estudo que eu criei: Fazer resumos das partes grifadas dos meus livros. 
  Sei que muita gente tem o habito de fazer resumos, mas eu confesso que só tinha de sublinhar o livro, até que percebi que quando terminava de ler o livro, muitas informações eu não tinha aprendido, refletivo e principalmente decorado. 
  Compartilho hoje com vocês o meu primeiro resumo de livro de estudo, e o que me fez ter a ideia de compartilhar é que não achei esse material na internet, então agora tem! 
  Caso alguém queira esse arquivo em PDF via e-mail é só pedir. Deixei meu contato na ultima parte do post.

USUFRUAM - DIVIRTAM-SE.


RESUMO DE CAPÍTULOS – Por Fernanda Ellen
 LIVRO: COMO PARAR DE ATUAR – HAROLD GUSKIN

PRÓLOGO

• Confiar sempre na intuição.
• Em vez de começar o meu trabalho sobre o personagem analisando cena por cena do texto, começo a improvisar as falas, momento a momento. E fiz isso sem nunca – e isto é crucial – mudar as falas originais.
• Estava em um trabalho tão pleno que não tinha ideia da próxima fala. É necessária coragem para tentar não controlar tudo, aceitar o que vem.
• Não pode censurar nada, inclusive as que parecem ser escolhas inadequadas. E por que o ator não sabe se o sentimento é certo até que ele expresse, ele deve mostra-lo antes que tenha a chance de escolher. Ele deve deixar isso para a sua intuição.

•O trabalho do ator não é criar uma personagem, mas responder ao texto contínua e pessoalmente, obedecendo ao seu impulso, da primeira leitura até a última apresentação.
• A resposta do personagem surge momento a momento. E para isso é preciso deixar de lado a técnica, o controle, as noções preconcebidas, as obrigações, e o mais difícil, o medo de parecer um idiota e o de que você não vai encontrar a personagem, se trabalhar dessa forma.
•ESSE LIVRO É SOBRE DEIXAR-SE TRANSFORMAR NA PERSONAGEM, JOGAR FORA A TÉCNICA PARA QUE A INTUIÇÃO POSSA SURGIR.
• Quando você está no palco, para estar vivo, você tem que assumir a responsabilidade por essa fala. Então me diga o que essa fala significa pra você. Confie em si mesmo! Confie em si mesmo!

1.                     TIRANDO DA PAGINA

• Atores não são bons em análise, isso tem que ser deixada para críticos e acadêmicos. Atores sabem sobre sentimentos, imaginação e improvisação. Eles são bons em se transformar em outras pessoas.
• Se o ator for capaz de dizer as falas da personagem, de uma forma verdadeira, em vez de ler ou recitar o texto, ele estará realmente dentro da cabeça da personagem. Ele se sentirá livre com as falas e as escolhas que elas provocam
• O ator deve rejeitar escolhas intelectuais no início do trabalho. Deve se permitir ficar em um estado de exploração e dúvida.



TIRANDO O TEXTO DA PAGINA NA PRATICA:
. Olhar o texto no papel
•. Lê para si mesmo (inspirando e expirando para que ela entre em sua cabeça)
•. Tira o olho da página e fala a frase
•. Usar sua voz verdadeira.
•. No instante que o sentimento for expresso, desapegue-se dele para a próxima fala.



•. Normalmente um ator se apega a um sentimento ou a um pensamento que funciona com medo de não ter nada de melhor para substitui-lo. Mas a verdade é que se apegar ao pensamento ou ao sentimento evocado por uma fala. Limita as inúmeras possibilidades que a próxima fala pode despertar. Desapegue-se deixa espaço para o novo rapidamente aparecer. É essa a exploração.
•. Geralmente os atores ficam com medo de não ter sentimento certo para a frase do autor. A atitude é boa. Na vida real, não sabemos direito o que sentimentos ou pensamos, ou então não temos nenhuma atitude. É preciso ter coragem para admitir que você não sabe nada sobre alguma coisa.
•. Não seja cuidadoso. Você está em um estado de descoberta, alimentando a única coisa que você tem certeza sobre a personagem: o que ela fala. Isso o deixa livre para tentar qualquer coisa que passar pela sua cabeça.
•. Mas se tiver confiança em só dizer a fala ela ficará cheia.  Não queira fazer alguma coisa, mostrar o que pensa, ou sente. Transforme a fala do personagem na sua fala, de maneira natural, sem atuar.
•. Tem que confiar tanto nas reações exageradas, como nas sutis.
•. Quanto mais errar no começo, maior será o repertório da personagem.
•. Mesmo atores muito experientes entram em crise no início de qualquer trabalho.
• O mantra é “NÃO ME IMPORTO”, quando não nos importamos com o que sai, criamos momentos que sempre funcionam.
•. Nas leituras em grupo, nunca ler a frase do colega, sempre olhar para ele enquanto ele fala, e depois voltar ao texto e ler sua parte. Se não escutar, não pode reagir, sem sua reação, sua fala não vai significar nada. Escutar é fundamental para haver uma reação verdadeira.
. Não se apegue ao que funcionou da última vez, continue explorando toda vez que você repetir as falas, não decida nada.
DICA:
Se você está chateado com o seu trabalho, faça o monólogo/cena do início ao fim de cinco formas diferentes (humor, com verdade, com raiva, com orgulho, se vangloriando... depois de explorar de todas essas formas, faça do jeito que sair. Você pode se surpreender.
•. Não decore.


2.                     EXPLORANDO O PAPEL PARA REVELAR A PERSONAGEM



•. Alguns atores gostam de começar de fora para dentro. Como ela é? Gorda, magra, clara, morena, elegante, deselegante.... É importante saber, mas eu não começo por aí.
•. Cada ator tem que achar o trabalho que funciona para ele.
•Toda vez que estamos pensando certinho, nossa intuição desaparece.
•. Em cada momento devemos ser nós, que estamos pessoalmente pensando, vendo, sentindo e falando. É ISSO QUE A PLATEIA SENTE E ACREDITA.
•. As boas escolhas voltarão, mesmo quando o ator não está querendo repeti-las, e as escolhas ruins são tão obvias para o ator, que ele mesmo é o primeiro a saber.
•. Para descobrir o que a personagem é, primeiro tenho que descobrir o que ela não é, explorando sem medo e sem censura.
•. Se durante a exploração eu achar que fiz a escolha certa para a personagem, ainda assim pode ser que não seja a melhor escolha. Mas se eu descobrir que fiz a escolha errada, uma que não funciona, então sei alguma coisa sobre a personagem.
•. Uma escolha certa é certa porque acontece alguma coisa dentro de mim, eu sinto nos ossos.
• A maioria dos atores não acreditam no que a personagem está falando. Imediatamente eles procuram um subtexto. Acho que as personagens geralmente dizem aquilo que falam, assim como na vida.

. Trabalhe todo dia na sua atuação. Isso quer dizer que você tem que verbalizar suas falas todos os dias, e não só pensar no personagem. Você vai ver que quanto mais você confiar em si mesmo, quando verbaliza uma fala, sem ter preconceito ou controle, mais livre ficará. E seja no palco, seja na frente da câmera, tendo falas ou não, você terá mais vida naquele momento.


3.                     EU QUERO ESTE PAPEL. COMO FAÇO PARA CONSEGUI-LO?



•. Você entra calmamente com um plano, que é: Vou ver o que eu posso fazer. De repente, você está lá fazendo, só que a sua própria maneira. Foi a partir desse momento que eu fui capaz de ir a testes e dizer: “Quer saber? Eu só vou colocar para algumas ideias para fora” em vez de dizer “Esta é a minha personagem. ”
•. Quando todos os atores fazem as mesmas escolhas, e os produtores de elenco veem isso, ficam entediados. O que realmente precisam é ser surpreendidos. Precisam descobrir o ator alia.
•. Não busquem as escolhas certas. Faça o que lhe interessa e o que você realmente acredita naquele momento, porque isso é o melhor que você tem a oferecer.
•. Não memorize as falas. Isso pode te deixar apreensivo, com medo de esquecê-las. Estude-as
•Muitas vezes os atores se vestem para mostrar ao diretor como eles acham que o personagem deveria parecer. Lembre-se que você ainda não conhece o personagem, você está apenas tentando explora-la. Vista-se para si mesmo, se você achar que deve ser sexy, vista-se para s sentir sexy, não para parecer sexy. Confie na sua intuição.
. Muitos atores trabalham para manter uma emoção (ficando em silencio, passando o texto diversas vezes na cabeça, concentração mil), e ele perde a verdade do momento.
• O fracasso não é não conseguir o papel, falhar é ser chato!
•. Lembre-se que não importa o quão bom você é em um teste, você pode ainda não conseguir o papel. Um bom diretor não vai te escolher se ele não precisar de você, mesmo que o considere um ótimo ator.
•. Tudo o que devemos fazer é dar nosso melhor e deixar as pessoas que nos escolham fazer o mesmo. E com isso, vamos estar preparados para quando o papel certo aparecer. ESTEJA PREPARADO.


4.                     DURANTE OS ENSAIOS E EM TEMPORADA.



•. Durante os ensaios, você tem que se permitir ser bobo. Você não tem que se julgar. Tem que deixar o bom gosto de lado.
•. Não deixar nenhuma porta fechada. Não se negar a fazer o que possa parecer inapropriado. No teatro, o ensaio é o lugar para se arriscar, para errar.
•. Somente nós somos responsáveis pelo nosso trabalho.
•A função do ator é fazer cada momento da sua personagem na peça um momento especial, interessante e instigante. O trabalho do ator é explodir o momento.
•. Infelizmente, ter bom gosto não é bom, não contribui para boas atuações porque reprime partes do ator.
•O ator deve ser capaz de superar sua timidez, bom gosto e vergonha desde o início dos ensaios.
•. Durante os ensaios desista do seu ego, não leve nada para o pessoal. Considere que tudo o que acontece em cena é atuação.
•. Às vezes você vai chegar muito rápido no resultado e vai ter que admitir que chegou. Deixe como está.
•. Precisamos nos colocar em perigo, à beira do precipício, para a intuição emergir.
•O ATOR VIVO NO PALCO, COM SUA HUMANIDADE – SEUS SENTIMENTOS, PENSAMENTOS, IMAGINAÇÃO – INTACTA, É O MELHOR PRESNTE QUE VOCÊ PODE DAR A UMA PLATEIA. ELA ESTÁ DEDICANDO SEU TEMPO PARA VER AQUILO. OS ESPECTADORES PAGARAM PARA NOS VER. ELES ACREDITAM QUE DAREMOS O NOSSO MELHOR. 
NA ATUAÇÃO, O INTERESSANTE É A VIAGEM, E NÃO O DESTINO. ATUAR É A VIAGEM!


5.                     ATUANDO NO CINEMA E NA TELEVISÃO.


•. Filmar é como um grande ensaio sem estreia no final. Saber disso pode ser extremamente libertador para o ator.
•Entre o “ação” e “corta” tudo depende do ator. Então você precisa estar livre em cada tomada e, em cada tomada, você deve tentar caminhos diferentes para fazer a cena. Você tem que oferecer muitas possibilidades “Dentro dos parâmetros da personagem” para que o diretor possa ter uma variável para escolher.
•. Em casa, você deve trabalhar falando alto, proferindo suas falas e a das outras personagens, e até mesmo seus pensamentos. Não fique na superfície, faça uma verdadeira imersão em cada fala. Tire cada cena daquelas cinco maneiras diferentes (raiva, humor, verdade...). Não estabeleça nada; só experimente ideias.
•. Mesmo que o ator já tenha lido o roteiro do começo ao fim, ele só começa a ter vida quando começar a dizer em voz alta as falas.
•A câmera é imperdoável com a representação.
•. Não pergunte para as pessoas como você deve fazer o papel. Esse é o seu oficio. Fique aberto sem tomar decisões.
•. Poupe-se para a filmagem quando for de verdade. Não se desgaste com ensaios.
•. Se a tomada não valer por algum motivo técnico, mas sua atuação for excelente, não tente reproduzir na tomada seguinte. Haja com impulso, jamais reproduzindo.
•. Se você não ficar satisfeito com uma tomada, peça ao diretor para fazê-la novamente.
•. Você precisa estar confiante, afinal você sabe mais sobre a personagem do que qualquer pessoa naquele lugar. Se você não sabe, não poderá fazer o papel, simples assim. O diretor pode ter milhares de coisas na cabeça no dia da filmagem. Mas o ator só pode ter uma.
•  . É importante que o ator fique emocionalmente solte e não gaste todas as suas emoções até a hora do close.
•. Quanto mais próxima a câmera, menos o ator deve fazer. Tudo o que ele fazer ou pensar será registrado. Tudo o que ele mostra fica exagerado. O ator não deve mostrar o que está pensando/sentindo.
• VOCÊ NÃO PRECISA SABER SOBRE O QUE É A CENA EM QUE ESTÁ ATUANDO. ÀS VEZES, NA VIDA REAL, VOCÊ NÃO SABE REALMENTE O QUE VOCÊ QUER OU O QUE PRECISA.
•. Mesmo quando você sabe para onde a história está indo, nunca a represente. Você tem que atuar estando no presente, sem mostrar os subtextos da cena. O ator deixa a história se contar por si mesma, e abre grandes possibilidades para a personagem ter reviravoltas e surpresas.
•. Atuar é atuar, seja no teatro, cinema ou tv.
•. Fazer papel pequeno exige mais do ator que um papel principal. Pois você tem pouquíssima informação do personagem.
•. Os melhores atores de inesquecíveis sitcoms ficaram famosos por causa das suas personagens e não pela atuação em si. Fizeram personagens extravagantes, exageradas, incríveis – mas extremamente – reais. O público pode não achar engraçado a atuação exagerada, mas uma personagem na qual o público acredita e gosta fica excessiva e o público vai achar engraçada.
•. Para um ator ser engraçado (em qualquer área, cinema, tv, teatro, sitcom) ele deve ser incrivelmente sério. Atuar na comédia é concluir um tema ou uma ideia de forma não lógica.

•. Quanto mais absurdo para o público e mais coerente para a personagem, mais engraçado será.

•. Se o ator estiver preocupado com a emoção ele acha que ele acha que precisa atingir mais tarde na cena, ficará distraído por isso e incapaz de se concentrar no momento presente. Não estará ouvindo e respondendo e começará a sentir medo. Ele perceberá que está sem emoção alguma. Então, tentará resgatar seus sentimentos e é isso que a plateia vê.






DICA PARA CHEGAR NA EMOÇÃO:
•. Faça uma respiração curta e prenda. Contraia e relaxe seu diafragma num ritmo muito rápido, até que você sinta como se ele estivesse vibrando. A sensação é de como você estivesse muito ofegante.
•. Deixe sua mente livre.
•Chaqualhe seu corpo.
•. Continue até o ar acabar.
•. Faça por 20 min, ou mais.



6.                     ATUANDO NOS GRANDES PAPEIS


•. Os grandes papéis oferecem lições importantes na concepção do desenvolvimento de personagens para os atores em todas suas fases da sua formação e crescimento. Eles nos obrigam a desistir de tentar controlar a personagem, e temos de deixa-la brincar conosco.

•. Os grandes papeis exigem tudo de nós, e um pouco mais. Fazendo Hamlet, por exemplo, você não pode atuar apenas a sua ideia de Hamlet. Você tem que trazer todas as suas experiências da vida – toda sua raiva, seu amor, paixão e sensibilidade, bem como todos os seus conhecimentos, inteligência e capacidade de concentração. E mesmo tudo isso pode não ser suficiente. Temos que nos tornar pessoas maiores para sermos granes o suficiente para tal papel. E esse é o desafio primordial, o prazer de atuar.
•Grandes papeis aumentam sua gama de emoções. É por isso que trabalho no repertório clássico com os atores iniciantes.
•. Veja-se ali naquele período. Não é suficiente, quando for atuar, apenas vestir o figurino – você precisa ser capaz de imaginar-se no palco, de uma maneira que seja real para você. Leia sobre a política, a arte, música, dança, costumes da época. Observe a arte da época em museus e ouça as músicas em concertos e gravações.
•O ator não pode controlar nada enquanto ele atua, exceto, talvez, a possibilidade de estar realmente presente a cada momento em que ele está no palco. E não há maneira melhor de aprender isso que atuar em grandes papeis.


LIDANDO COM A LINGUAGEM DE SHAKESPEARE
•. Para atuar Shakespeare, um ator deve ser verbal. De “Sonho de uma noite de verão” até “Hamlet”, todas as personagens de Shakespeare se expressam por palavras recheadas de descrições e alusões. Então o ator deve ser capaz de se expressar por meio de suas palavras. Quando o ator é capaz de falar uma língua tão rica, com facilidade e autenticidade, o resultado pode ser inesquecível.
•A linguagem pode representar um tremendo obstáculo para o ator, sobretudo quando as falas são em verso.
•. Como podemos ter um estilo generalizado para a língua de Shakespeare?
-Claro que devemos estudar a história de sua época, a história política, social e literária bem como a linguagem e poesia. Como atores devemos saber o máximo possível. E devemos estudar técnica vocal também.
•. Traduza as palavras usadas nos textos de Shakespeare, entenda o que diz, associe a imagens, depois volte ao texto original, seguir assim até que as palavras estejam saindo da sua boca com naturalidade. Isso pode levar um tempo, mas o ator só consegue dizer verdadeiramente o que significa, se estiver no momento presente.


EPÍLOGO


•. Ouvir música de um período específico é crucial para a preparação de papeis específicos, é como estar exposto ao ar daquele tempo e lugar. A música afeta como você se move, fica em pé, anda, e até como pensa. Você precisa estar por dentro dos sons da época para abraçar o texto e explorá-lo livremente.
•. Ler romances, peças e poesias amplia a capacidade do ator de uma forma diferente.
•Faça de sua realidade um sonho e do sonho realidade.
•. Se você quer ser um ator, não mergulhe apenas no teatro, mas nas artes plásticas, na música, na dança, e na literatura. De qualquer jeito, sempre encontre tempo para atuar em peça. Sempre digo aos atores “Faça do teatro sua âncora. Assim você sempre vai conhecer a si mesmo. ”
•. Por mais que eu ame cinema, ainda acredito que a alma da interpretação está no teatro e continua sendo o melhor lugar para o ator conhecer a si mesmo e sua forma de atuar.
•. Não importa se você foi bem o mal no papel. Você é jovem. Ninguém espera que você vá bem, ainda mais nessas peças. Mas, se você falha num bom material, ainda assim aprenderá. E não terá medo mais tarde, quando esperarem que você saiba alguma coisa.


•. Finalmente, para de gastar energia com papo sobre “o mercado. ” Concentre-se no trabalho de crescer artisticamente e como ser humano. Descubra o que te move como ator. Use o que funciona e jogue fora o que atrapalha, independentemente de como soe o conceito. Encontre seu próprio caminho e “o mercado” vai encontrar você.




Caso você queira esse arquivo em PDF é só enviar um e-mail para Fernanda@Orienta.com.br solicitando, que eu lhe envio para você ter como um arquivo <3

Você encontra o arquivo em PDF do livro completo AQUI

21 de maio de 2017

MAC - Batons Dos Signos - Nova coleção de acordo com a personalidade de cada signo.





A Nova campanha da M.A.C Cosméticos Brasil apostou na tendencia do momento: SIGNO.
A marca convidou o astrólogo Celso Dossi para definir as cores de batom relacionadas à personalidade de cada signo. O valor a partir do dia 21 de Maio é de R$76 a unidade. Vamos as cores:






Gente, eu sou a louca dos signos, inclusive sou pisciana, e me senti muuuuuito representada! Amei. E vocês?


Grande beijo ♥
Tecnologia do Blogger.